quarta-feira, 8 de abril de 2009

Martinho Lutero: a justificação pela fé.


Martinho Lutero, monge agostiniano e doutor em Teologia pela Universidade de Wittenberg, foi o impulsionador da reforma religiosa na região da atual Alemanha. Ele aceitava as idéias de Jan Huss principalmente no que dizia respeito às propostas de liberdade de culto e de liberdade de consciência individual. Divergindo das orientações de Roma, Lutero acreditava que a salvação da alma resultava da fé, a graça divina mais importante do homem; e que as boas obras em nada influíam para a salvação. A partir dessa idéias, Lutero condenou a compra de indulgências como passaporte para o reino dos céus.
As condições políticas e econômicas do Santo Império Romano-Germânico, que abrangia boa parte dos territórios alemães, favoreceram a difusão das concepções de Lutero. O Império era formado por diversos principados independentes, governados por nobres que elegiam o imperador. O poder imperial estava nas mãos da dinastia dos Habsburgos, representada por Carlos V (1500-1558), que tinha fortes ligações com a Igreja Católica. Havia cardeais entre os Eleitores do Sacro Império. Além disso, muitos feudos eram controlados pelo clero, que conseguia grandes lucros com o arrecadamento dessas terras. Outras fontes de renda da Igreja provinham da arrecadação do dízimo e do comércio de indulgências. Diante do poderio econômico e dos abusos cometidos pelos eclesiásticos, diversos segmentos sociais faziam fortes críticas à Igreja, criando um terreno favorável para a proposta de reforma religiosa.

2 comentários:

  1. gostei muito hoje posso garante que sou uma pessoa
    que esta sempre por dentro dos assuntos

    ResponderExcluir
  2. quero aprender tudo sobre historia e minha matéria
    preferida agradeço a DEUS por tudo que sei hoje ...ler e minha maior felicidades ,,,

    ResponderExcluir